VOTO LIMITADO NAS ELEIÇÕES PROPORCIONAIS LEGISLATIVAS BRASILEIRAS: UM PROCEDIMENTO PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA DAS ESCOLHAS

Autores

  • Gustavo Inácio de Moraes PUCRS

DOI:

https://doi.org/10.51206/elegis.v14i36.714

Palavras-chave:

Voto Limitado, Eleição Legislativa, Brasil, Escolhas Públicas

Resumo

O presente artigo tem por objetivo discutir como a introdução de um voto limitado pode beneficiar o alcance de eficiência nas eleições legislativas brasileiras. A experiência brasileira com o voto proporcional apresenta distritos de magnitude elevada e um número expressivo de candidaturas, dificultando a ação de candidatos e de eleitores. Argumentamos que se o eleitor tivesse disponível, ao invés de um único voto, um número maior de escolhas, segundas e terceiras preferências poderiam ser capturadas, no contexto de inúmeras candidaturas. Especificamente apontamos, com base em resultados da literatura, que disponibilizar até três votos, em distritos que são de pelo menos oito candidatos, aumentaria a eficiência das escolhas públicas de representantes legislativos.

Referências

ACE Project. The Electoral Knowledge Network. Disponí­vel em: https://aceproject.org/main/english/es/ese02b.htm. Consulta em 21 de março de 2021.

ARRINGTON, Theodore S.; INGALLS, Gerald L.. The limited vote alternative to affirmative districting. Political Geography, v. 17, n. 6, pp. 701-28, 1998.

BRASIL. Código Eleitoral, Lei 4.737/65. 1965. Disponí­vel em: https://www.tse.jus.br/legislacao/codigo-eleitoral/codigo-eleitoral-1/codigo-eleitoral-lei-nb0-4.737-de-15-de-julho-de-1965

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasí­lia, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988

BRASIL. Lei Geral das Eleições, Lei 9.504/97. 1997. Disponí­vel em: https://www.tse.jus.br/legislacao/codigo-eleitoral/lei-das-eleicoes/lei-das-eleicoes-lei-nb0-9.504-de-30-de-setembro-de-1997

BRASIL. Lei 13165. 2015. Disponí­vel em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13165.htm#art4

BRASIL. Lei 13877. 2019 a. Disponí­vel em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/L13877.htm

BRASIL. Lei 13878. 2019 b. Disponí­vel em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/L13878.htm

DISS, Mostapha, TLIDI Abdelmonaim, KAMWA Eric, "On Some k-scoring Rules for Committee Elections: Agreement and Condorcet Principle. Revue d'économie politique, v. 130, pp. 699-725, 2020. Disponí­vel em: https://www.cairn-int.info/journal-revue-d-economie-politique-2020-5-page-699.htm

GARG, Nikhil; GELAU, L.; Sakshuwong, SUKOLSAK; GOEL, Ashish. Who is in Your Top Three? Optimizing Learning in Elections with Many Candidates. Research Gate, Pre print., 2019. Disponí­vel em: https://www.researchgate.net/publication/333892336

LAKEMAN, Enid; LABERT, James. Voting in democracies. London: Faber, 1995

IDEA – Institute for Democracy and Electoral Assistance. Electoral Design System: The new international IDEA handbook. Avaliable in: https://www.idea.int/sites/default/files/publications/electoral-system-design-the-new-international-idea-handbook.pdf

LIMA JUNIOR, OLAVO BRASIL. Reformas de sistemas eleitorais: mudanças, contextos e consequências. Dados, v. 42, n. 1, 1999. Disponí­vel em: https://doi.org/10.1590/S0011-52581999000100004

REYNOLDS, Andrew; REILLEY, Ben; ELLIS, Andrew. Electoral System Design: The New International IDEA Handbook. Stockholm, Sweden: International Institute for Democracy and Electoral Assistance. p. 44, 2005.

THE NETHERLANDS. Regras Eleitorais para o Parlamento. 2017. Disponí­vel em: https://www.osce.org/files/f/documents/c/6/322761.pdf,

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL. Estatí­sticas Eleitorais. Disponí­vel em: https://www.tse.jus.br/eleicoes/estatisticas/estatisticas-eleitorais

Publicado

2021-11-03

Edição

Seção

Artigos