OUTLIERS SÃO OUTSIDERS? PERFIL DOS DEPUTADOS ESTADUAIS “HEAVY USERS” DE MÍDIAS DIGITAIS NA LEGISLATURA 2019-2023

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51206/elegis.v14i36.702

Palavras-chave:

Comunicação pública parlamentar, Elites políticas, Outsiders, Representação política, Outliers

Resumo

O objetivo deste artigo é fazer um estudo do uso das midias digitais pelos deputados estaduais brasileiros na legislatura 2019-2023. Procuraremos responder à seguinte questão: os parlamentares intensivos no uso das midias digitais em cada unidade da federação brasileira (outliers) podem também ser considerados “outsiders”, ou seja, parlamentares novatos na atividade política? Para verificar este fenômeno analisaremos o uso das duas midias digitais públicas mais utilizadas pelos deputados estaduais brasileiros no período 2019-2020, ou seja, Facebook e Instagram, verificando se este uso está associado a certas características da carreira política dos deputados. Os resultados indicam que esse fenômeno ocorre no Instagram, mas não no Facebook, ou seja, mídias sociais públicas de uso mais recente são usadas com mais intensidade por parlamentares “outsiders”.

Biografia do Autor

Sérgio Soares Braga, Universidade Federal do Paraná

Doutorado em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Estadual de Campinas (2008). Mestrado em Ciência Polí­tica pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e atualmente é professor adjunto ní­vel III da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Ciência Polí­tica. Atualmente faz estágio pós-doutoral no Institute of Communication Studies da Universidade de Leeds (2013-2014).

Diogo Tavares, PPGCP-UFRP.

Diogo Tavares é doutorando em Ciência Polí­tica pelo PPGCP-UFRP.

Rafael Linhares e Padilha, DECP-UFPR

Bolsista de Iniciação Cientí­fica pelo CNPq-Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientí­fico e Tecnológico e formando em Ciência Polí­tica pela Universidade Federal do Paraná.

Márcio Giovanni Macedo, PPGCP-UFPR

Mestrando em Ciência Polí­tica pelo PPGCP-UFPR.

Referências

ALMEIDA, H. N. Representantes, representados e mí­dias sociais: mapeando o mecanismo de agendamento informacional. 2017. Tese de Doutorado em [Ciência Polí­tica]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

ALMEIDA, H. N. "Tamo junto?" Parlamentares e mí­dias sociais: uma tipologia dos padrões de atuação de deputados federais no Facebook. Sociedade e Cultura, 2020, 23.

BARROS, A. T. ; BERNARDES, C. B. ; RODRIGUES, M. R. . Atuação Parlamentar Virtual: as estratégias dos Deputados Federais em seus Websites. E-Legis, v. 6, p. 18-42, 2015.

BARR, R. R. Populists, Outsiders and Anti-Establishment Politics. Party Politics, v. 15, n. 1, 2009.

BRAGA, S.; SAMPAIO, R.; CARLOMAGNO, M.; VIEIRA, F.; ANGELI, A.; SUHURT, J.. Eleições online em tempos de big data: Métodos e questões de pesquisa a partir das eleições municipais brasileiras de 2016. Estudos em Comunicação, v. 25, p. 253-285, 2017.

BRAGA, S. S. CARLOMAGNO, M. C. Eleições como de costume? Uma análise longitudinal das mudanças provocadas nas campanhas eleitorais brasileiras pelas tecnologias digitais (1998-2016). Revista Brasileira de Ciência Polí­tica, Brasí­lia, v. 26, p 7-62, 2018.

BRAGA, S. S.; CRUZ, L. C. As tecnologias digitais e o mandato dos representantes: um estudo sobre o uso da internet pelos deputados estaduais brasileiros da 16a legislatura (2007-2011). In: SILVEIRA, Sérgio Amadeu; BRAGA, Sérgio; PENTEADO, Cláudio. (orgs.) Cultura, polí­tica e ativismo nas redes digitais. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2014.

CARRERAS, M. Outsiders and executive-legislative conflict in Latin America (1980–2007). Latin American Politics and Society, v. 56, n.3, 2016.

CERVI, E. U. Manual de métodos quantitativos para iniciantes em Ciência Polí­tica. V.1. Curitiba: CPOP-UFPR, 2017

CODATO, A; LORENCETTI, A; PRATA, B. Elites polí­ticas e representação: uma investigação da literatura contemporânea sobre polí­ticos profissionais. BIB – Boletim de Informação Bibliográfica, São Paulo, n. 95. 89–105, 2020.

CORRALES, J. Latin America"™s Neocaudillismo: ex-presidents and newcomers running for President"¦ and winning. Latin American Politics and Society, v. 50, n. 3, 2008.

DONATELLO, L. M. Y LEVITA, G. (2017). ¿Renovación de las elites o renovación de las élites polí­ticas? Los diputados outsiders en los paí­ses del Mercosur (2003-2015). Revista de Investigaciones Polí­ticas y Sociológicas, Universidad de Santiago de Compostela, 16(2), 45-64

MARENCO, A. Y SERNA, M. (2007). Por que carreiras polí­ticas na esquerda e direita não são iguais? Recrutamento legislativo no Brasil, Chile e Uruguai. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 22(64), 93-113

MARQUES, F. P. J. A. ; AQUINO, J. A.; MIOLA, E. Deputados brasileiros no Twitter: um estudo quantitativo dos padrões de adoção e uso da ferramenta. Revista Brasileira de Ciência Polí­tica, 2015, n. 14, p. 201-225.

MORETTIN, P. A.; BUSSAB, W. O. Estatí­stica básica. Saraiva Educação SA, 2017.

MIGUEL, L. F. Capital polí­tico e carreira eleitoral: algumas variáveis na eleição para o Congresso brasileiro. Revista de Sociologia e Polí­tica, n. 20, p. 115–134, 2003.

PEREIRA, M. A. G.; SANTOS, M. L.; ALMEIDA, H. N. Representação Polí­tica e Internet - Uso das TICs por Membros do Parlamento Brasileiro. Revista Polí­tica Hoje, Recife, v. 27, n. 1, p.83-104, 2018.

PURBA, K. R.; ASIRVATHAM, David; MURUGESAN, Raja Kumar. An analysis and prediction model of outsiders percentage as a new popularity metric on Instagram. ICT Express, 2020, 6.3: 243-248.

REHBEIN-SATHLER, A. G.; FERREIRA, H. F. Mandato Digital: uma experiência com utilização de aplicativo. E-Legis; Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação da Câmara dos Deputados, v. 13, p. 103-119, 2020.

Publicado

2021-11-03

Edição

Seção

Dossiê Parlamentos e Comunicação Pública