ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE O EFEITO DO FIM DAS COLIGAÇÕES NAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS BRASILEIRAS DE 2020

Autores

  • Thiago Alexandre Melo Matheus CEFOR - Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento da Câmara dos Deputados

DOI:

https://doi.org/10.51206/elegis.v14i36.673

Palavras-chave:

Coligações Partidárias, Sistemas Eleitorais, Sistemas Partidários, Eleições Municipais

Resumo

Diversos estudos já discutiram as consequências que as coligações teriam para a fragmentação partidária e para a representatividade das candidaturas em eleições proporcionais no Brasil. O presente trabalho pretende resgatar essas discussões e analisar a dinâmica entre coligações e resultados eleitorais no contexto das eleições municipais de 2020. Esse estudo exploratório é realizado a partir de comparações entre os dados de 2016 e 2020, tentando identificar possíveis consequências que o fim das coligações nas eleições proporcionais pode ter provocado nos resultados dos pleitos municipais e a partir disso refletir sobre possíveis impactos nas eleições de 2022. As análises realizadas sugerem influência do fim das coligações no grau de fragmentação das bancadas municipais e também nas estratégias eleitorais dos partidos. Espera-se que os resultados alcançados possam contribuir para entender as dinâmicas que surgiram no sistema político brasileiro com o fim das coligações e também sugerir caminhos para pesquisas futuras.

Biografia do Autor

Thiago Alexandre Melo Matheus, CEFOR - Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento da Câmara dos Deputados

Formação inicial em Fí­sica, concluindo na sequência Mestrado com foco em Fí­sica Atômica e Molecular. Posteriormente se graduou em Estatí­stica, com monografia sobre séries temporais aplicadas í s variações cambiais, e anos depois em Direito, com TCC que analisava a tramitação do sistema eleitoral chamado Distritão no Congresso Nacional.

Após começar a trabalhar como Analista Legislativo da Câmara dos Deputados, iniciou pesquisas com foco em Direito Eleitoral e Ciências Polí­ticas, mais especificamente na relação que os sistemas eleitorais tem com os demais elementos do sistema polí­tico.

Atualmente está cursando o Mestrado Profissional em Poder Legislativo do Centro de Formação da Câmara dos Deputados (CEFOR).

Referências

ALBUQUERQUE, Felipe de. Uma análise das coligações proporcionais de 2010 e 2014. Revista Eletrônica de Ciência Polí­tica. v. 8, n. 2, 2017. Disponí­vel em < https://www.researchgate.net/publication/321175418_Uma_analise_das_coligacoes_proporcionais_de_2010_e_2014>. Acesso em 10 de dez. 2020.

BORGES, Gabriel Augusto Mendes; SILVA, Adriana Campos; FERREIRA, Raphael Rodrigues. Fim das Coligações para Vereadores... E agora? Brasí­lia: Núcleo de Estudos e Pesquisas/CONLEG/Senado. Set. 2020 (Texto para Discussão n. 285). Disponí­vel em < https://www.senado.leg.br/estudos>. Acesso em 10 de dez. 2020.

BRAGA, Maria do Socorro. Dinâmica de Coordenação Eleitoral em Regime Presidencialista e Federativo: Determinantes e Conseqüências das Coligações Partidárias no Brasil in SOARES, Gláucio Ary; RENNÓ, Lúcio (orgs.), Reforma Polí­tica. Lições da História Recente. Rio de Janeiro, Editora FGV, pp. 229-245. 2006

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei n. 2.679 de 3 de dezembro de 2003. Disponí­vel em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=147024. Acesso em 10 dez. 2020.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Proposta de Emenda à Constituição n. 282/2016. Parecer na CCJC. Deputado Betinho Gomes. Brasí­lia, 4 abr. 2017. Disponí­vel em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2128031. Acesso em 10 de dez. 2010.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Proposta de Emenda à Constituição n. 282/2016. Parecer na Comissão Especial - PEC 282/16. Deputada Shéridan. Brasí­lia, 22 ago. 2017. Disponí­vel em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2148606. Acesso em 10 de dez. 2010.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei n. 669/1999. Disponí­vel em: https://www.camara.leg.br/propostas-legislativas/15716. Acesso em 10 de dez. 2020.

BRASIL. Decreto nº 21.076, de 24 de fevereiro de 1932 (Código Eleitoral). Rio de Janeiro, RJ: Presidência da República, 1932. Disponí­vel em https://legis.senado.leg.br/norma/440250/publicacao/15695060. Acesso em 10 de dez. 2020.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 97, de 4 de outubro de 2017. Altera a Constituição Federal para vedar as coligações partidárias nas eleições proporcionais, estabelecer normas sobre acesso dos partidos polí­ticos aos recursos do fundo partidário e ao tempo de propaganda gratuito no rádio e na televisão e dispor sobre regras de transição. Disponí­vel em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc97.htm Acesso em 10 de dez. 2020.

BRASIL. Lei n. 13.488 de 06 de outubro de 2017. Altera as Leis n º 9.504, de 30 de setembro de 1997 (Lei das Eleições), 9.096, de 19 de setembro de 1995, e 4.737, de 15 de julho de 1965 (Código Eleitoral), e revoga dispositivos da Lei nº 13.165, de 29 de setembro de 2015 (Minirreforma Eleitoral de 2015), com o fim de promover reforma no ordenamento polí­tico-eleitoral. Brasí­lia, DF: Presidência da República, 2017. Disponí­vel em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13488.htm. Acesso em 10 de dez. 2020.

BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral. Estatí­sticas Eleitorais. Disponí­vel em: https://www.tse.jus.br/eleicoes/estatisticas/repositorio-de-dados-eleitorais-1/repositorio-de-dados-eleitorais. Acesso em 10 de dez. 2020.

BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral. Estatí­sticas Eleitorais. Repositório de Dado Eleitorais. Eleições Municipais 2020. Disponí­vel em: https://www.tse.jus.br/eleicoes/estatisticas/estatisticas-eleitorais. Acesso em 10 de dez. 2020.

CARREIRAO, Yan de Souza. Ideologia e partidos polí­ticos: um estudo sobre coligações em Santa Catarina. Opinião Pública, Campinas, v. 12, n. 1, p. 136-163, abr. 2006. Disponí­vel em < http://dx.doi.org/10.1590/S0104-62762006000100006>. Acesso em 10 de dez. 2020.

DALMORO, Jefferson; FLEISCHER, David. Eleição proporcional: os efeitos das coligações e o problema da proporcionalidade. In: KRAUSE, Silvana; SCHMITT, Rogério (Orgs.), Partidos e coligações eleitorais no Brasil. Rio de Janeiro: Konrad Adenauer Stiftung; São Paulo: Ed. UNESP, pp. 85-113, 2005

LAAKSO, Markku; Taagepera, Rein (1979). Effective" Number of Parties: A Measure with Application to West Europe. Comparative Political Studies. 12 (1): 3–27. doi:10.1177/001041407901200101. ISSN 0010-4140. S2CID 143250203 Acesso em 10 de dez. 2020.

MELO, Clóvia A. Vieira de; SOARES, Kelly C. Costa. Coligações partidárias em eleições proporcionais municipais: fragmentação e sucesso de candidatos com baixa densidade eleitoral. Análise Social, Lisboa, n. 220, p. 684-719, set. 2016. Disponí­vel em <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0003-25732016000300007&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 10 dez. 2020.

MIRANDA, G. L. Coligações Eleitorais: Tendências e Racionalidades nas Eleições Federais e Majoritárias Estaduais (1990-2010). Revista de Sociologia Polí­tica v. 21, n. 47, p 69-90 set. 2013 Disponí­vel em < https://www.scielo.br/pdf/rsocp/v21n47/07.pdf>. Acesso em 10 de dez. 2020

NICOLAU, Jairo Marconi. Breves comentários sobre as eleições de 1994 e o quadro partidário. Cadernos de Conjuntura, Rio de Janeiro, IUPERJ, n. 50, julho 1994.

_______. Multipartidarismo e Democracia. Um Estudo sobre o Sistema Partidário Brasileiro (1985-1994). Rio de Janeiro, Editora FGV. 1996

NICOLAU, Jairo Marconi; SCHMITT, Rogério Augusto. Sistema eleitoral e sistema partidário. Lua Nova, São Paulo, n. 36, p. 129-147, 1995. Disponí­vel em <https://doi.org/10.1590/S0102-64451995000200008>. Acesso em 10 de dez. 2020.

NOHLEN, Dieter. Os sistemas eleitorais: o contexto faz a diferença. Lisboa: Livros Horizonte, 2006.

PAIVA, Denise; ALVES, Viní­cius; BENEDITO, Sergio. As coligações proporcionais e os pequenos partidos nas eleições para a Câmara de Deputados 1998-2014. Disponí­vel em <https://www.researchgate.net/publication/315745579_As_coligacoes_proporcionais_e_os_pequenos_partidos_nas_eleicoes_para_a_Camara_de_Deputados_1998-2014>. Acesso em 10 de dez. 2020.

SILVA, Raphael Carvalho da. Análise dos possí­veis impactos das propostas de fim das coligações proporcionais, para as eleições da Câmara dos Deputados, a partir dos resultados de 2014. Câmara dos Deputados, Consultoria Legislativa. 2015 Disponí­vel em <https://bd.camara.leg.br/bd/handle/bdcamara/22200>. Acesso em 10 de dez. 2020.

SOARES, Gláucio Dillon. Alianças e coligações eleitorais: notas para uma teoria. Revista Brasileira de Estudos Polí­ticos, Belo Horizonte, n. 17. 1964

SOUZA, Maria do Carmo Campello de. Estado e partidos polí­ticos no Brasil. São Paulo: Alfa-Ômega, 1976.

TAVARES, José Antônio Giusti. Reforma polí­tica e retrocesso democrático. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1998.

Publicado

2021-11-03

Edição

Seção

Artigos