OS EFEITOS DO ASSOCIATIVISMO NO DESEMPENHO PARLAMENTAR FEMININO

Autores

Palavras-chave:

Associativismo e democracia, Deputadas federais brasileiras, Participação e representação política

Resumo

O artigo analisa a relação entre representação e participação política, a partir do estudo da influência que os vínculos associativos exercem no desempenho e na atividade parlamentar das deputadas federais que exerceram mandatos nas legislaturas de 2003-2007, 2007-2011, 2011-2015. O referencial teórico apresenta o estudo de M. Warren que trata das relações entre democracia e associações. Os dados foram coletados no Portal da Câmara dos Deputados. Investigamos o número de projetos propostos pelas deputadas e a presença delas em cargos de liderança. A partir desses dados buscamos relacioná-los com os vínculos associativos das parlamentares e verificar se esses vínculos estabelecidos previamente à entrada no parlamento são capazes de influenciar o desempenho parlamentar feminino, e assim, contribuir com o debate sobre a relação entre participação e representação para a legitimidade democrática.

Biografia do Autor

Ana Paula Paula Cavalcante Limão da Silva, Recém doutora em Ciência Polí­tica/Ufscar

Possui graduação em Ciências Sociais Licenciatura pela Universidade Estadual de Maringá (2007), graduação em Ciências Sociais Bacharelado pela Universidade Estadual de Maringá (2010), mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (2015) e doutorado em Ciência Polí­tica pela Universidade Federal de São Carlos (2019). Tem experiência na área de Ciência Polí­tica e Sociologia, com ênfase nos seguintes temas: associativismo, democracia, gênero, participação e representação polí­tica e polí­ticas públicas.

Referências

ALMEIDA, C. C. R.; LÜCHMANN, L. H. H.; RIBEIRO, E. 2012. Associativismo e Representação Polí­tica no Brasil. Revista Brasileira de Ciência Polí­tica, Brasí­lia, v. 8, p. 237-263, maio-agosto.

ALMEIDA, Carla C. R.; TONELLA, Celene. 2007. Participação Social e Indicadores de Associativismo: um estudo sobre entidades credenciadas pelos Conselhos Municipais de Assistência Social. Anais II Seminário Nacional Movimentos Sociais, Participação e Democracia. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, p. 43-57, abril.

BAGGETTA, M. Civic Opportunities in Associations: Interpersonal Interaction, Governance Experience and institutional Relationship. Social Forces, v. 88, n. 1, p. 175-199, setembro, 2009.

BOHNSTEDT, G. W.; KNOKE, D. 1988. Statistics for social data analysis. 2. ed. Itasca: Peacock.

COTTA, Maurizio. 1998. Parlamento. In: BOBBIO, Norberto et al. Dicionário de Polí­tica. Brasí­lia: ed. Unb, v. 1, p. 880.

CRUZ, M. R. 2009. Legislativo transformador? As modificações do legislativo nos projetos de leis do executivo. Brasí­lia. Instituto Universitário de Pesquisas do Rio Janeiro e Centro de Formação da Câmara dos Deputados. Dissertação (Mestrado). Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados, 121 p.

FIGUEIREDO, E.C. dos S. 2011. Sistema de Comissões e o Poder Conclusivo na Câmara dos Deputados. Brasí­lia. Especialização em Processo Legislativo, Centro de Formação da Câmara dos Deputados, Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados, 42 p.

GILL, Jeff. 1999. Insignificance of Null Hypothesis Significance Testing. Political Research Quarterly, v. 52, p. 647-674.

LÜCHMANN, L. H. H. 2007. 2007. A Representação no Interior das Experiências de Participação. Lua Nova, v. 70, p. 139-170.

LÜCHMANN, L. H. H. 2014. Abordagens teóricas sobre o associativismo e seus efeitos democráticos. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 29, n.85, p. 159-226, junho.

PATEMAN, C. 1992. Participação e Teoria Democrática. Tradução Luiz Paulo Rouanet. São Paulo: Paz e Terra. 157 p.

PINHEIRO, L. S. 2006. Vozes femininas na polí­tica: uma análise sobre mulheres parlamentares no pós-Constituinte. Brasí­lia. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Sociologia, Universidade de Brasí­lia, 2006. 248 p.

PITKIN, H. The concept of representation. University of California Press, London, Englad, 1972.

RODRIGUES, A. Participação polí­tica das mulheres e gestão em polí­tica de gênero. Brasí­lia, 2004. Disponí­vel em: <http://www.cfemea.org.br>. Acesso em 25 jan. 2015.

SANI, Giacomo. Participação Polí­tica. 1998. In: BOBBIO, Norberto et al. Dicionário de Polí­tica. Brasí­lia: ed. Unb, v. 1, p. 888.

URBINATI, N. 2006. O que torna a representação democrática. Lua Nova, São Paulo, v. 67, p. 191-228.

URBINATI, N. 2006. Representative Democracy: Principles & Genealogia. Chigaco Press, 2006.

WARREN, M. 2001. Democracy and association. Princeton: Princeton University.

YOUNG, I. M. 2006. Representação polí­tica, identidade e minorias. Lua Nova, São Paulo, v. 67, p. 139-190.

Publicado

2022-03-14

Como Citar

Cavalcante Limão da Silva, A. P. P. (2022). OS EFEITOS DO ASSOCIATIVISMO NO DESEMPENHO PARLAMENTAR FEMININO. E-Legis - Revista Eletrônica Do Programa De Pós-Graduação Da Câmara Dos Deputados, 15(37), 192–207. Recuperado de https://e-legis.camara.leg.br/cefor/index.php/e-legis/article/view/723

Edição

Seção

Dossiê Sistema Polí­tico Brasileiro - CEFOR / IMPA / EPRG-UnB