GOVERNO TEMER: A PONTE ENTRE OS GOVERNOS PETISTAS E A ASCENSÃO DE BOLSONARO

Autores

  • Carolina Maria Fernandes Guerra PUC-SP
  • Vera Lucia Michalany Chaia PUC-SP

DOI:

https://doi.org/10.51206/elegis.v14i36.698

Palavras-chave:

Temer, Petismo, Bolsonaro, Presidencialismo de Coalizão, Congresso

Resumo

O artigo elenca os principais aspectos do mandato de Temer que contribuíram para mudar o direcionamento da política brasileira para uma orientação mais à direita, e com um programa diferente das diretrizes da chapa anteriormente formada com a presidente Dilma Rousseff, formando a “ponte” que levou o Brasil a eleger Bolsonaro. Já nos primeiros meses de mandato, o presidente Temer anunciou medidas de austeridade de grande impacto - como a reforma trabalhista e o teto dos gastos, que não constavam no programa de governo de sua antecessora. Os planos de Temer possivelmente teriam ido mais além, com uma eventual aprovação da reforma da previdência, caso não tivesse sido implicado em diversas investigações de corrupção. Temer, no entanto, com um governo de forte orientação pró-mercado, acabou sendo um governo de transição entre os governos petistas e o governo de Bolsonaro.

Biografia do Autor

Carolina Maria Fernandes Guerra, PUC-SP


Carolina Maria Fernandes Guerra é jornalista formada pela Universidade Mackenzie e mestre em Ciências Sociais pela PUC-SP.

Vera Lucia Michalany Chaia, PUC-SP

Vera Lucia Michalany Chaia - doutora em Ciência Polí­tica pela USP e Livre-docente pela PUC-SP; professora associada da PUC-SP; é coordenadora e pesquisadora do Neamp (Núcleo de Estudos em Arte, Mí­dia e Polí­tica), do CNPq e da FAPESP.

Referências

AMORIM NETO, Otavio; TAFNER, Paulo. Governos de coalizão e mecanismos de alarme de incêndio no controle legislativo das medidas provisórias. Dados, Rio de Janeiro, v. 45, n. 1, p. 5-38, 2002.

AZEVEDO, Fernando Antonio Farias de. A grande imprensa brasileira. Paralelismo polí­tico e antipetismo (1989-2014). 2016. 172f. Tese (Professor Titular). Departamento de Ciências Sociais, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

AZEVEDO, Fernando Antonio; CHAIA, Vera Lucia Michalany. O Senado nos editoriais dos jornais paulistas (2003 - 2004). Opinião Pública, Campinas, v. 14, n. 1, p. 173-204, jun. 2008.

BARROS FILHO, Clóvis. Ética na comunicação: da informação ao receptor. São Paulo: Moderna, 1995.

BOBBIO Norberto. Teoria das formas de governo. 9. ed. Brasí­lia: Editora Universidade de Brasí­lia, 1997.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Empresariado industrial, democracia e poder polí­tico. Textos para discussão, Escola de economia, FGV, São Paulo, n. 192, jun. 2009. Disponí­vel em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/ 2664/TD%20192%20-20Luiz%20Carlos%20Bresser%20Pereira.pdf?sequence=1>. Acesso em: 20 abr. 2020.

BRUGNAGO, Fabricio; CHAIA, Vera. A nova polarização polí­tica nas eleições de 2014: radicalização ideológica da direita no mundo contemporâneo do Facebook. Aurora: revista de arte, mí­dia e polí­tica, São Paulo, v. 7, n. 21, p. 99-129, out. 2014-

-jan. 2015.

CHAIA, Vera. O conservadorismo e a ascensão da Nova Direita. DIAS, L. A.; SEGURADO, R. (org.). O golpe de 2016: Razões, atores e consequências. São Paulo: Intermeios, 2018.

DIAS, Luiz Antonio; SEGURADO, Rosemary (org.). O golpe de 2016: razões, atores e consequências. São Paulo: Intermeios; PUC-SP-PIPEq, 2018.

FREITAS, Andréa. O presidencialismo da coalizão. Rio de Janeiro: Fundação Konrad Adenauer, 2016.

GIAMBIAGU, Fabio e HORTA, Guilherme Tinoco de Lima. O teto do gasto público: mudar para preservar. Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, 2019.

LIMONGI, Fernando. A democracia no Brasil: presidencialismo, coalizão partidária e processo decisório. Novos estudos, Cebrap, São Paulo, n. 76, p. 17-41, nov. 2006. Disponí­vel em: . Acesso em: 28 nov. 2019.

LIMONGI, Fernando; FIGUEIREDO, Argelina. As reformas (des)necessárias. Revista São Paulo em Perspectiva, Fundação Seade, São Paulo, v. 10, n. 4, out./dez. 1996.

MAINWARING, Scott. Democracia presidencialista multipartidária: o caso do Brasil. Lua Nova, São Paulo, n. 28-29, p. 21-74, abr. 1993. Disponí­vel em: . Acesso em: 22 jan. 2020.

NUNES, Edison. Fragmentação de interesses e morosidade no parlamento brasileiro. MOISÉS, José Álvaro (org.). O papel do Congresso Nacional no presidencialismo de coalizão. Rio de Janeiro: Konrad-Adenauer-Stiftung, 2011.

SANTOS, Fabiano. Partidos e comissões no presidencialismo de coalizão. Dados, Rio de Janeiro, v. 45, n. 2, p. 237-264, 2002.

SCHIER, Paulo Ricardo. Presidencialismo de coalizão: contexto, formação e elementos na democracia brasileira. Curitiba: Juruá, 2017.

SEGURADO, Rosemary; CHAIA, Vera; ESTRAMANHO, Rodrigo (org.). Polí­tica e liderança: (recurso eletrônico) teorias e práticas. São Paulo: Ed. PUC-SP, 2018.

SINGER, André. Do sonho rooseveltiano ao pesadelo golpista. Rio de Janeiro: Revista Piauí­, edição 140. Disponí­vel em <https://piaui.folha.uol.com.br/materia/do-sonho-rooseveltiano-ao-pesadelo-golpista/>. Acesso em 20 nov 2020.

SINGER, André. O lulismo em crise: um quebra-cabeça do perí­odo Dilma (2011-

-2016). São Paulo: Cia. das Letras, 2018.

Matérias de jornal e sites informativos:

. Acesso em: 25 abr. 2021

<https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/01/21/bolsonaro-herda-69-projetos-do-ppi-de-temer-e-quer-ampliar-privatizacoes.ghtml> acesso em 4 nov. 2020

. Acesso em: 2 jun. 2019

<https://www.dw.com/pt-br/temer-%C3%A9-absolvido-de-acusa%C3%A7%C3%A3o-de-corrup%C3%A7%C3%A3o-no-caso-dos-portos/a-56933658> Acesso em 19 mar. 2021.

. Acesso em: 12 abr. 2021

<https://economia.uol.com.br/cotacoes/noticias/redacao/2015/12/30/dolar-sobe-em-todos-5-anos-de-dilma-e-salta-137-de-r-1666-a-r-3948.htm>. Acesso em 20 mar. 21.

<https://www.gazetadopovo.com.br/politica/republica/governo-fez-forca-mas-congresso-nao-votou-o-imposto-sobre-grandes-fortunas-bl8bs70qvjeaopieey6bp4gnb/> Acesso 4 nov. 2020

<https://www.youtube.com/watch?v=NP5ZuzH0wEk> Acesso em 4 novembro 2020.

<https://congressoemfoco.uol.com.br/especial/noticias/reforma-da-previdencia-fracassada-no-congresso-custou-r-110-milhoes-em-14-meses/> Acesso em 5 nov. 2020.

<https://apublica.org/2020/07/governo-patrocinou-propaganda-da-previdencia-para-canais-infantis-religiosos-e-investigados-pela-justica/> Acesso em 5 nov. 2020.

<http://dapp.fgv.br/governo-temer-distribui-mais-de-80-do-orcamento-federal-entre-os-partidos-da-coalizacao/>. Acesso em: 28 jun. 2020.

. Acesso em: 9 abr. 2020.

<http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2014/nova-composicao-da-camara.html>. Acesso em: 9 abr. 2020

. Acesso em: 19 abr. 2020.

. Acesso em: 30 jun. 2020.

. Acesso em: 30 jun. 2019.

Publicado

2021-11-03

Edição

Seção

Artigos