JORNALISMO E INVISIBILIDADE DO CONFLITO AMBIENTAL NO CASO DA CMPC CELULOSE RIOGRANDENSE

Cláudia Herte de Moraes, Eliege Maria Fante

Resumo


O artigo apresenta o resultado da Análise de Conteúdo das notícias jornalísticas repercutidas, na rede social Facebook, pelo grupo de vizinhos da CMPC Celulose Riograndense. O objetivo é refletir sobre como o jornalismo do RS acompanhou o conflito ambiental e o sofrimento da vizinhança da maior fábrica de celulose da América Latina, no segundo ano (maio de 2016 a maio de 2017) após a quadruplicação da unidade em Guaíba/RS, período em que a poluição (forte mau odor e barulho alto e ininterrupto, principalmente) emitida pela mesma ultrapassou os limites legais. Constatamos que a repercussão aconteceu principalmente em meios alternativos à imprensa hegemônica, ligados a entidades e movimentos sociais e ambientais.


Palavras-chave


Jornalismo; Conflito ambiental; Celulose e papel; Facebook; Análise de Conteúdo.

Texto completo:

POR ENG SPA