DA TEORIA DOS GRUPOS À LÓGICA DA AÇÃO COLETIVA: ELEMENTOS PARA SE PENSAR A ATUAÇÃO DE GRUPOS DE INTERESSE NO LEGISLATIVO BRASILEIRO / FROM THE THEORY OF GROUPS TO THE LOGIC OF COLLECTIVE ACTION: ELEMENTS TO THINK ABOUT THE ACTION OF GROUPS OF INTEREST IN BRAZILIAN LEGISLATIVE

Ciro Antônio da Silva Resende

Resumo


O objetivo deste artigo é, a partir das obras de Bentley (1908), Truman (1951) e Olson (1965), discutir fatores que, possivelmente, estão associados às diferentes oportunidades de influência entre os grupos de interesse. Nesse sentido, algumas características desses grupos, como tamanho, recursos e capacidade organizacional, são problematizadas tendo como pano de fundo a problemática das assimetrias de acesso e de influência. Para tanto, lança-se mão de dados de um survey realizado com representantes de grupos de interesse e assessores parlamentares do setor público cadastrados na Primeira-Secretaria da Câmara dos Deputados. O diálogo estabelecido entre duas perspectivas do estudo dos grupos de interesse, quais sejam a teoria dos grupos e a concepção olsoniana, aponta para a importância de se identificar grupos que atuam junto às arenas decisórias, suas características e sua capacidade de influenciar as decisões.


Palavras-chave


Grupos de interesse; Teoria dos grupos; Ação coletiva; Assimetria de influência.

Texto completo:

PDF